Google e Facebook ajudam no desastre do Nepal



No último sábado (25), o mundo foi surpreendido por uma catástrofe natural que afetou milhares de pessoas. Segundo as autoridades, o terremoto que atingiu o Nepal já contabiliza mais de 3,2 mil mortes confirmadas, número que continua aumentando à medida que as equipes de busca e resgate trabalham nas áreas próximas ao epicentro. Em meio às consequências desse desastre, a tecnologia tem se mostrado uma aliada na árdua tarefa de encontrar sobreviventes.

A Google, através da ferramenta Person Finder, permite a busca de nomes na base de dados de pessoas desaparecidas. Esse mecanismo, usado pela primeira vez na ocasião do terremoto que atingiu o Haiti em 2010, já foi utilizado várias vezes desde então e reúne informações de centros de emergência e indivíduos que podem fornecer dados de desaparecidos ou sobreviventes encontrados.
 
O Person Finder, ferramenta da Google para ajudar a encontrar sobreviventes.

Safety Check do Facebook

A rede social criada por Mark Zuckerberg também assumiu um papel importante por causa do desastre que atingiu o Nepal. O “Safety Check” é um mecanismo que foi introduzido ao Facebook em outubro de 2014 e permite às pessoas que moram nas regiões atingidas pelo tremor avisar seus amigos e familiares que estão bem e não correm perigo.

O "Safety Check" ajuda os sobreviventes a avisar seus amigos e familiares.

“Quando desastres acontecem, as pessoas precisam saber se seus amados estão em segurança. São momentos assim que ser capaz de estar conectado realmente faz diferença”, disse Zuckerberg através do comunicado sobre o “Safety Check”.




Compartilhamento Sólidario de Internet no Nepal (Fonte: G1)
 Literalmente, o Facebook e Google estão ajudando muito os familiares que não estão no NEPAL, abaixando inclusive preço das ligações para essa região! Orarmos por todas as vitimas desta terrível tragédia.
Compartilhar no Google+

Sobre vitor hugo alves de araujo

Técnico de PC'S, investidor, blogueiro e estudante do ensino médio, fascinado por jogos e tecnologia, é viciado em redes sociais.
    Comentários do Disqus
    Comentários do Facebook

0 comentários :

Postar um comentário